Press Release

Este ano, 2017, o aumento salarial dos Portugueses está entre os menos generosos da Europa, verificando-se a mesma tendência em 2018

agosto 16, 2017
| Portugal

LISBOA, 16 agosto 2017 - De acordo com um dos estudos da Willis Towers Watson, os trabalhadores Portugueses estão a usufruir este ano de um aumento salarial real médio pouco abaixo da mediana dos restantes países da União Europeia e com o efeito do aumento da inflação estimada para 2018, a taxa de aumento salarial real colocará Portugal no percentil 25 entre os 28 países dos estados membros.

O relatório Salary Budget Planning da Willis Towers Watson, um estudo global sobre aumentos e previsões salariais, mostra que ainda este ano, as empresas em Portugal terão em geral, um aumento do salário médio igual a 2,0% e com uma taxa de inflação estimada de 1,2%, o valor real de aumentos salariais fica pelos 0,8%. O mesmo resultado será alcançado na Eslovénia e Luxemburgo, embora neste último, o salário mínimo é três vezes superior ao salário praticado em Portugal e ainda o mais alto da União Europeia.

Esta taxa ajustada pela inflação coloca Portugal 0,2% abaixo da taxa média de 1% da União Europeia e abaixo de outras economias não comparáveis à nossa como é o caso da Irlanda (1,9%), Alemanha (1,2%), França (1,1%) e Itália (1%).
Para 2018, a previsão é de uma taxa de inflação mais elevada, na ordem dos 1,6%, terá repercussões na média do aumento salarial que se tem vindo a manter nos 2,0%, originando um cenário de aumento salarial real de 0,4%, mais distante da média prevista na União Europeia que se prevê seja de 0,9%.

Enquanto a previsão de aumentos salariais se mantém nos 2%, a taxa de inflação aumentará de 1,2% em 2017 para 1,6% em 2018, com um impacto mais vincado na taxa real que passará de 0,8% para 0,4% em 2018. Assistiremos a cenários diferentes noutras economias, como Irlanda (1,1%), França (1,2%); Holanda (1,3%), Alemanha (1,5%) e Itália (1,7%). Aqui ao lado, em Espanha, assistiremos à mesma tendência que em Portugal, ou seja, a média de aumentos reais em 2018 não irá além dos 0,4%, pese embora se verifique um cenário evolutivo já que em 2017 o aumento previsto não vai além dos 0% pelo efeito da inflação ser igual ao aumento previsto de 2,1%.

Este ano apenas um país da UE28 (Roménia) apresenta aumentos salariais (3,3%) superiores à média da UE28 do ano passado. A média dos aumentos salariais reais da UE28 é agora de 1,0%, bastante abaixo dos 2,6% em 2016 e que veremos diminuir para os 0,9% em 2018 pelo efeito da inflação. O panorama Europeu será bastante diversificado, com apenas 36% dos países a estimarem aumentos superiores à média do ano passado.

Sobre A Willis Towers Watson

A Willis Towers Watson (NASDAQ: WLTW) é uma empresa global líder em consultoria, corretagem e soluções que apoia clientes em todo o mundo a transformar o risco num caminho para o crescimento. Com um percurso que data desde 1828, a Willis Towers Watson tem 40.000 colaboradores em mais de 140 países. Desenhamos e oferecemos soluções que gerem o risco, otimizam os benefícios, promovem o talento e ampliam o poder do capital de forma a proteger e a reforçar as organizações e os indivíduos. A nossa perspetiva única permite-nos olhar para as principais interseções entre o talentos, os ativos e as ideias – a fórmula dinâmica que promove o desempenho do negócio.

Nota

O relatório Salary Budget Planning é compilado pelo segmento de Data Services da Willis Towers Watson. O estudo foi realizado em março de 2017. Foram recebidos aproximadamente 13.250 conjuntos de respostas de empresas de 139 países em todo o mundo. O relatório inclui os resultados do estudo anual da Willis Towers Watson sobre os movimentos e práticas de revisão salariais como forma de ajudar as empresas no planeamento da sua compensação para 2017 e para o futuro.

Os dados da Inflação – Índice de Preços do Consumidor (IPC) são compilados pelo Economist Intelligence Unit (EIU). Valores de referência a abril de 2017.

Contacto para imprensa


Related solutions


Related material