Artigo

Previsão global de M&A

Performance será recuperada em 2019 após o pior ano de negociações desde a crise financeira

janeiro 21, 2019

A Willis Towers Watson espera que os Investidores tenham uma visão de longo prazo em resposta à incerteza atual, já que a confiança e os fundamentos do mercado permanecem robustos.

O mercado global de M&A continua a fazer esforços no sentido de adicionar valor e, o desempenho dos compradores tem estado em constante declínio desde o pico de 2015 (dados compilados pela Willis Towers Watson e pela Cass Business School). Depois de em 2018 termos assistido ao fraco desempenho em termos de valor acionista durante cinco trimestres consecutivos, sem precedentes, registando o seu pior desempenho anual na última década, o que é que os potenciais compradores podem esperar em 2019?

A capacidade de oferecer benefícios antecipados em termos de valor acionista para o comprador está em mínimos de dez anos. Além disso, o stress de mercado que caracterizou 2018 irá persistir, com o aumento da incerteza regulatória, as negociações comerciais e tarifárias em curso, incluindo as negociações Brexit e as disputas comerciais EUA-China, tornando ainda mais desafiante a obtenção de sucesso nos negócios.

O desempenho global em M&A atingiu o pico em 2015, e tem vindo a decrescer desde então. No entanto, com o imperativo estratégico nos negócios a permanecer forte, pensamos que há uma hipótese real dos investidores terem uma performance superior durante este ano, considerando que os compradores escolhem os seus alvos cuidadosamente numa ótica de crescimento.

  2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018
Negócios Globais de M&A - Desempenho Anual Médio (pontos percentuais) 3.2 4.0 2.7 -0.7 4.5 5.5 10.1 5.4 -1.3 -3.0
Os números na tabela mostram a média (ajustada) do desempenho anual de todos os compradores.

PREVISÕES DE M&A PARA 2019

Com base nas tendências de curto e longo prazo reveladas pelos dados, bem como em conversas com clientes e associados, a Willis Towers Watson partilha as suas cinco previsões em sede de M&A para 2019:

1. O cenário só pode melhorar em 2019

2018 foi um ano difícil para os investidores que registaram o seu pior desempenho anual desde a crise financeira de 2008. Contudo, apesar de continuarem a existir ventos contrários, estamos otimistas no sentido de que o mercado global irá melhorar em 2019 e que, apoiado por mais clareza sobre a direcção da administração dos Estados Unidos e do Brexit, vai conseguir melhorar a posição dos compradores na obtenção de mais valor nos seus negócios.

2. Diminuição do número de negócios estrangeiros

Esperamos ver um declínio global no número de transações internacionais devido a restrições regulatórias alimentadas por uma tendência crescente em direção ao protecionismo. Esta realidade terá como consequência uma estratégia mais defensiva de consolidação doméstica, para a qual algumas nações estarão melhor equipadas do que outras. O mercado doméstico de M&A nos Estados Unidos, por exemplo, tradicionalmente tem-se mostrado muito robusto, pelo que esperamos que os volumes permaneçam estáveis, uma vez que os compradores vão concentrar o seu poder de fogo nas metas domésticas.

3. Não haverá aumento de negócios na região Ásia-Pacífico

Além de uma queda significativa no volume de negócios, os compradores da região Ásia-Pacífico registaram o pior desempenho anual de todas as regiões em 2018, com um desempenho inferior a 17,1pp (pontos percentuais) abaixo do índice MSCI regional. Pensamos que a atividade de M&A das empresas chinesas será silenciada em 2019, produzindo impacto sobre os volumes em toda a região da Ásia-Pacífico.

4. O interesse externo no Reino Unido continua forte

Pese embora a incerteza atual em torno do Brexit possa implicar menos atividades de Fusões e Aquisições para empresas do Reino Unido em 2019, os benefícios ganhos pelos adquirentes externos ao adquirirem empresas do Reino Unido, traduzir-se-á nesta nação permanecer uma das mais populares para operações de M&A.

5. Os “mega” negócios continuam em dificuldades

Houve 17 mega negócios (avaliados em mais de $10 mil milhões) de M&A em 2018, que tiveram um desempenho inferior ao mercado em 14,5 pontos percentuais – o pior desempenho de todos os tipos de negócios.

A incerteza política global, desde as guerras comerciais e crescente protecionismo ao Brexit, irá continuar em 2019 e irá produzir um impacto negativo, particularmente, sobre os mega negócios, uma vez que os compradores serão bastante cautelosos neste tipo de transações que, pela sua natureza e complexidade, demoram muito tempo para serem concluídas, sobretudo num ambiente volátil de negociações.


A incerteza política e económica permanece, refletindo-se nos grandes negócios internacionais, levando inevitavelmente a algum grau de volatilidade em termos de volume, mas a atividade nestes negócios prevalecerá.

A rotura tecnológica, a mudança no comportamento do consumidor, a desaceleração no crescimento dos mercados emergentes e as reservas record de dinheiro farão com que as empresas entrem no mercado de M&A.

Com muitas das empresas alvo a mostrarem-se mais caras do aquilo que eram durante os anteriores picos de M&A (como em 1999 durante o boom das “ponto com” e em 2008 antes do crash financeiro global), os decisores têm de se concentrar como nunca antes na cuidadosa seleção de empresas alvo e nos trabalhos prévios de due diligence antes de entrarem num negócio, se quiserem obter maiores probabilidades de sucesso.

A metodologia Willis Towers Watson

  • Toda a análise é conduzida da perspetiva do adquirente.
  • O desempenho do preço das ações no estudo trimestral é medido como uma variação percentual no preço das ações seis meses antes da data do anúncio até ao final do trimestre.
  • Todas as transações em que o adquirente detenha menos de 50% das ações da empresa alvo após a sua aquisição foram removidas, portanto, as aquisições minoritárias não foram consideradas. Todas as transações em que o adquirente detinha mais de 50% das ações da empresa alvo antes da sua aquisição foram removidas, portanto, nenhuma compra residual foi considerada.
  • Somente os negócios de M&A concluídos com um valor de pelo menos $ 100 milhões que atendam aos critérios do estudo estão incluídas nesta pesquisa.
  • A informação sobre as transações foi retirada da Refinitiv.

Sobre a prática de M&A da Willis Towers Watson

A prática de M&A da Willis Towers Watson combina a nossa experiência em risco e capital humano para oferecer uma gama completa de serviços e soluções em Fusões e Aquisições, abrangendo todas as etapas de um processo de M&A. Somos especialistas nas áreas de planeamento, due diligence, transferência de risco e integração pós-transação, áreas estas que definem o sucesso de qualquer transação.

Sobre A Willis Towers Watson

A Willis Towers Watson (NASDAQ: WLTW) é uma empresa global líder em consultoria, corretagem e soluções que apoia clientes em todo o mundo a transformar o risco num caminho para o crescimento. Com um percurso que data desde 1828, a Willis Towers Watson tem 40.000 colaboradores em mais de 140 países. Desenhamos e oferecemos soluções que gerem o risco, otimizam os benefícios, promovem o talento e ampliam o poder do capital de forma a proteger e a reforçar as organizações e os indivíduos. A nossa perspetiva única permite-nos olhar para as principais interseções entre o talentos, os ativos e as ideias – a fórmula dinâmica que promove o desempenho do negócio.