Skip to main content
Relatório da pesquisa

Pesquisa COVID-19 Brasil: Impactos nos negócios e nos benefícios

Resultados Brasil

Future of Work|Health and Benefits|Retirement|Integrated Wellbeing
COVID 19 Coronavirus

Julho 27, 2020

Conheça as práticas e estratégias das empresas em relação aos programas de benefícios e as ações planejadas para o retorno ao trabalho.

Sobre a pesquisa:

Os resultados da pesquisa são baseados nas respostas de 196 empresas, representando 724 mil funcionários no Brasil. A pesquisa foi realizada entre os dias 26 de maio e 10 de junho de 2020.

Perfil das empresas respondentes:

  • 59% com fins lucrativos, privada
  • 37% com fins lucrativos, capital aberto
  • 4% sem fins lucrativos, estatal

Indústria

gráfico das empresas participantes por setor
gráfico das empresas participantes por setor

Visão geral

Para acompanhar as mudanças e as ações tomadas ajudando, assim, os empregadores a navegarem neste momento incerto, a Willis Towers Watson realizou mundialmente a pesquisa “COVID-19: Impactos nos negócios e nos benefícios”.

As empresas no Brasil têm implementado diversas ações em resposta aos desafios impostos pela pandemia da COVID-19, principalmente para garantir a saúde, a segurança e o bem-estar de sua força de trabalho enquanto tentam manter a operação. Muitas, agora, também estão olhando adiante e buscando caminhos para restaurar a estabilidade depois do relaxamento das medidas de isolamento social.

Resumo dos destaques

As empresas estão aprimorando os cuidados de saúde e os programas de bem-estar para apoiar seus profissionais.

Os impactos no negócio
  • Aproximadamente 60% das organizações esperam um impacto que varia de moderado a grande nos resultados financeiros durante os próximos seis meses
  • 19% acreditam que não haverá impacto na produtividade dos empregados nos próximos seis meses
  • 55% das organizações congelaram as contratações e 20% reduziram o quadro de empregados
  • Políticas obrigatórias de “home office” estão sendo amplamente utilizadas por 71% dos respondentes, mas poucas empresas oferecem subsídios especiais neste período de quarentena
Restauração da estabilidade
  • 30% das empresas já desenvolveram estratégias para o retorno ao trabalho e outras 66% têm ações planejadas ou sendo consideradas
  • 44% realizarão testes de temperatura em empregados e visitantes na entrada das instalações, como parte dos novos protocolos de segurança
  • A maioria das empresas (74%) planeja adotar uma abordagem em fases e trazer de volta ao trabalho, primeiramente, os empregados de baixo risco ou essenciais
Prioridades dos programas de benefícios
  • 61% das empresas já fizeram ou planejam fazer alterações em seus programas de benefícios como resultado da COVID-19
  • As principais prioridades para os próximos seis meses são:
    • Melhorar os serviços de saúde mental e gerenciamento de estresse/resiliência (58%)
    • Comunicar sobre programas de benefícios e bem-estar que podem ser importantes para os empregados neste momento (54%)
    • Garantir a continuidade dos programas de benefícios, como a gestão de fornecedores, por exemplo (39%)

Benefícios relacionados ao bem-estar

Novas soluções virtuais que apoiam o “home office” são uma prioridade para os empregadores: 67% já as oferecem e outros 21% estão planejando ou considerando fazer o mesmo. 

  • 40% já tomaram ações para assegurar o acesso aos cuidados necessários e apoio para empregados com doenças crônicas, bem como melhorar o acesso ao Programa de Assistência aos Empregados (PAE)

Para ajudar os empregados a lidar com a ansiedade e solidão:

  • 78% das empresas aumentaram o acesso a videoconferências para possibilitar reuniões virtuais com o objetivo de manter os empregados conectados ao trabalho
  • 52% estão promovendo oportunidades para que os empregados interajam por meio de ações não voltadas ao trabalho, como coffee breaks virtuais, por exemplo
  • A maioria das empresas está preocupada com a qualidade dos seus programas de bem-estar:
    • 91% pretendem melhorar os atuais programas
    • 89% esperam promover/comunicar os programas atuais
    • 78% planejam adicionar novos programas alinhados às necessidades futuras

Contact Us

Benefício Saúde

  • As empresas esperam aumento nos custos de saúde, licença médica, invalidez e seguro de vida em grupo durante o próximo ano em decorrência da COVID-19
  • Mais de 50% estão adicionando/expandindo o acesso a serviços de saúde mental online e à telemedicina
  • Cerca de 3 em cada 5 empregadores planejam revisar sua estratégia de saúde para 2021. Adiar a implementação de mudanças nos benefícios ou de novos programas de saúde e bem-estar está entre as principais prioridades

Benefício de Aposentadoria

  • 9% dos empregadores suspenderam ou reduziram as contribuições aos planos de aposentadoria complementar
  • Mais da metade das empresas está avaliando ou considerando avaliar a capacidade de os provedores/gestores manterem os serviços ao longo deste período
  • 15% estão promovendo orientação financeira independente para os empregados próximos da aposentadoria; outros 24% estão planejando ou considerando o mesmo

Licença remunerada

  • 45% das organizações estão exigindo que os empregados tirem licença ou férias
  • Apenas 12% modificaram ou revisaram o desenho do plano e as práticas para reduzir custos
  • 9% estão concedendo licença de quarentena além da exigência legal e apenas 4% estão concedendo licença especial para cuidar de crianças
    • A maioria daqueles que concedem licença de quarentena ou licença destinada ao cuidado de crianças planeja cobrir 100% do salário

Para obter mais informações sobre a pesquisa no Brasil, entre em contato com seu consultor na Willis Towers Watson.

Faça o download do relatório em pdf da pesquisa.
Título Tipo de arquivo Tamanho do arquivo
Pesquisa COVID-19: Impactos nos negócios e nos benefícios PDF .4 MB
Contato

Keyla Moraes

Soluções Relacionadas