Skip to main content
Relatório da pesquisa

Capítulo um: Organizações em transformação digital lideram o caminho

Pesquisa Caminhos para a Capacitação Digital 2019

Compensation Strategy & Design|Future of Work|Talent|Total Rewards
N/A

Dezembro 18, 2019

Resultados da pesquisa Caminhos para a Capacitação Digital 2019: capítulo 1

As organizações em transformação estão bem adiantadas nas frentes estratégica e tática

Os resultados da pesquisa Caminhos para a Capacitação Digital 2019 (Pathways to Digital Enablement) revelam que as organizações se enquadram em uma de quatro categorias de maturidade digital de acordo com a sua abordagem à estratégia digital e com os principais fatores de alavancagem da capacitação digital (isto é: cultura, liderança, estratégia digital, gestão de capital humano, processos internos, estrutura e tecnologia). (Figura 1).

  1. As organizações emergentes possuem estratégias digitais básicas e reativas (31% das respostas). Elas podem até estar utilizando alguns dos fatores de alavancagem da capacitação digital, porém sem os benefícios de um road map formal.
  2. As organizações avançadas são as que se encontram nos estágios iniciais do desenvolvimento de uma estratégia digital formal (14% das respostas). Elas utilizam um número maior de fatores de alavancagem, mas seus esforços de digitalização permanecem fragmentados e pouco alinhados a suas estratégias de negócios.
  3. As organizações líderes têm realizado avanços significativos utilizando estratégias digitais desenvolvidas de modo completo, alinhadas ou integradas com suas estratégias de negócio. Esse grupo está em estágio avançado no desenvolvimento de vários fatores de alavancagem (35% das respostas).
  4. As organizações em transformação estão mais adiantadas do que todas as outras por possuírem estratégias digitais e de negócios alinhadas ou completamente integradas, impulsionando novas fontes de valor (20% das respostas). Essas organizações percebem o digital além da tecnologia e utilizam todos os fatores de alavancagem em seu caminho em direção à capacitação digital. Além disso, elas tendem a incorporar essa capacitação a todos os pontos de sua cadeia de valor.
Estrada que leva as organizações emergentes até a transformação digital
Figura 1. O caminho para o sucesso digital – quatro categorias de maturidade digital

Organizações em transformação superam o desempenho

Vinte por cento dos respondentes da pesquisa globalmente são organizações em transformação. Essas organizações estão bem adiantadas em relação a outras na percepção e realização de suas ambições digitais, o que se reflete em seu desempenho (Figura 2). Elas apresentam mais que o dobro de probabilidade de reportar alto desempenho em relação a seus pares do que organizações emergentes.

gráfico de barras que apresenta o desempenho financeiro das empresas, de emergentes às que estão em transformação
Figura 2. Desempenho financeiro em comparação aos pares
Nota: Porcentagens de respondentes que indicaram que seu desempenho financeiro é substancialmente superior ao dos seus pares.

Liderança nas organizações em transformação

A liderança é essencial nas organizações em transformação, assim como em todas as outras. Aos líderes cabe a gestão dos fatores de alavancagem que impulsionam o novo ecossistema digital. Eles são responsáveis por alcançar as ambições digitais de suas empresas. Setenta e cinco por cento das organizações em transformação afirmam que atribuem a seus líderes a responsabilidade pelos resultados de seus esforços digitais, contra apenas 40% nas organizações em geral.

Organizações “em transformação” estão mais adiantadas do que todas as outras por possuírem estratégias digitais e de negócios alinhadas ou completamente integradas que impulsionam novas fontes de valor.

Em algumas organizações, a equipe de liderança inclui um “Diretor Digital” (Chief Digital Officer - CDO). Organizações sem transformação mostram aproximadamente três vezes mais probabilidade que organizações emergentes de possuir um CDO que seja o elemento focal para arquitetar e liderar a transformação, engajar empregados e talentos não contratados e gerenciar o novo ecossistema do trabalho.

Como o trabalho é realizado nessas organizações

As organizações “em transformação” reconhecem o valor da execução do trabalho e utilizam uma diversidadede meios para alcançar esse fim. Dentre eles, podem estar ouso de inteligência artificial (IA), de robótica, de parcerias e de terceiros em adição aos talentos em relações de trabalho mais tradicionais.

Talentos não contratados são um componente cada vez mais importante da força de trabalho. Atualmente, 25%de todas as organizações afirmam estar fazendo mais uso destes talentos como resultado da automação e da digitalização. Esse índice tende chegar a 51% nos próximos três anos. Enquanto muitos empregadores se esforçam para integrar os talentos não contratados, as organizações “em transformação” estão em nítida vantagem, com quase três quintos (57%) afirmando serem eficientes na integração desses talentos com competências especializadas às equipes de trabalho, contra apenas 23% das organizações emergentes (Figura 3).

Nota: Porcentagens de respondentes que selecionaram 4 ou 5 em uma escala de 5 pontos sobre a habilidade da empresa em integrar talentos não contratados com competências especializadas ao time de trabalho.

Além disso, mais de três quintos (65%) das organizações “em transformação” estão ativamente planejando combinar talento humano e automação, um índice bem acima daquele encontrado em organizações em estágios anteriores da jornada de transformação digital.

Próximo capítulo: Os desafios da jornada da transformação digital

Download PDF
Contatos

Glaucy Bocci

Contact Us