Skip to main content
Relatório da pesquisa

Capítulo quatro: Como se posicionar e permanecer à frente da concorrência?

Pesquisa Caminhos para a Capacitação Digital 2019

Compensation Strategy & Design|Future of Work|Talent|Total Rewards
N/A

Dezembro 18, 2019

Resultados da pesquisa Caminhos para a Capacitação Digital 2019: capítulo 4

Como se posicionar e permanecer à frente da concorrência?

Os passos a seguir poderão ajudar sua organização a começar a impulsionar suas ambições digitais e traçar o caminho até a transformação digital.

1. Utilizar os fatores de alavancagem de capacidade digital.

Gerar valor a partir da automação e da digitalização do local de trabalho exige o uso de múltiplos instrumentos da matriz de capacidade digital (Figura 14).

  • Cultura fortemente orientada ao cliente. Organizações com uma cultura fortemente orientada ao cliente dão ênfase à experiência do consumidor, utilizam princípios do design thinking e contam com dados e análises para fornecer as informações necessárias ao desenho e ao desenvolvimento de produtos.
  • Estratégia digital. A capacitação digital impacta todos os aspectos da cadeia de valor. Isso inclui planejamento e desenvolvimento na forma de aplicar tecnologias digitais como automação, IA e análise de dados para criar valor, aprimorar o desempenho das pessoas e diferenciar experiências.
  • Cultura. Uma cultura que apoia a capacidade digital promove inovação, facilita o compartilhamento de informações em toda a organização e fortalece a transparência. Os trabalhadores entendem e utilizam a automação e a digitalização em seu trabalho sem receio de se tornarem obsoletos ou irrelevantes.
  • Liderança. Conduzir uma organização em processo de transformação digital exige a habilidade de orquestrar um ecossistema com múltiplas opções de trabalho forma das por talento humano e automação.
  • Gestão de capital humano. As organizações precisam atrair e reter talentos críticos com os recursos digitais necessários, além de integrar talentos não contratados e automação em equipes de trabalho, reinventando cargos e redefinindo trilhas de recapacitação.
  • Processos internos de apoio à reinvenção do trabalho. Os processos internos de uma organização devem apoiar formas de trabalho ágeis e os cargos devem ser reinventados para garantir os arranjos ideais de pessoas e de automação.
  • Estrutura. Uma estrutura organizacional eficaz permite que as equipes organizem e executem seu trabalho de modo eficaz para avançar a estratégia digital e de negócios d a empresa. Isso poderá exigir uma colaboração efetiva com start-ups e com outros parceiros.
  • Tecnologia e ferramentas. As organizações precisam oferecer aos seus empregados ferramentas digitais que os ajudem a serem mais produtivos, além de mantê-los atualizados para garantir que permaneçam relevantes enquanto a tecnologia e a automação transformam o trabalho.

2. Priorizar o desenvolvimento de lideranças.

É essencial redefinir o conceito de liderança na era digital. As organizações precisam priorizar o desenvolvimento de líderes com novas habilidades necessárias à gestão do ecossistema do trabalho digital, constituído por múltiplas opções de trabalho, como aquelas obtidas por intermédio de parcerias, terceirização, vendedores de IA e start-ups, dentre outras. Devem também ser capazes de identificar e implementar arranjos ideais, associando pessoas e automação e digitalização.

Para assegurar a execução bem-sucedida das estratégias digitais, é crucial que os líderes tenham competências de comunicação, inteligência emocional e que inspirem ação, produzam inovação e motivem a colaboração entre todas as áreas de uma organização inclusiva. Isso vai permitir que desenvolvam equipes de alto desempenho, além de impulsionarem a transformação e o crescimento organizacional.

3. Compreender suas opções para construir capacidade digital.

As organizações utilizam diferentes métodos para desenvolver capacitação digital. Aquelas que conseguem progredir até o nível em que são capazes de estabelecer parcerias efetivas com start-ups colhem muitos benefícios, inclusive a alavancagem de tecnologia, que não pode ser desenvolvida rapidamente pela própria organização. Elas também ganham agilidade crescente em novas iniciativas, ideias e perspectivas inovadoras e aumentam a possibilidade de trabalhar com os melhores talentos. Entretanto, isso exige habilidade não só para identificar as start-ups certas para firmar parcerias, mas também para garantir que a organização disponha de tempo, processos de governança e recursos necessários, incluindo um orçamento adequado.

4. Para ajudar no desenvolvimento da capacitação digital, adote uma estrutura organizacional que estabeleça claramente as responsabilidades durante a transformação digital e que inclua um CDO (Diretor Digital).

Aproximadamente três quintos das organizações (59%) mencionam também a estrutura organizacional como um a área que exige abordagens inovadoras. As empresas que contam com um CDO têm maior probabilidade de serem mais experientes no uso dos diversos métodos para desenvolver capacitação digital e apresentam maior chance de adotar uma abordagem transversal geral (Figura 15). Além disso, essas organizações são mais agressivas ao desenvolver capacitação digital por meio de parcerias com start-ups e grupos de venture capital corporativo (VCs).

tabela com percentuais dos métodos usados para desenvolver as habilidades digitais
Figura 15. Métodos da transformação digital

Explorando os instrumentos de capacitação digital, compreendendo a necessidade de inovações na liderança e avaliando as opções à disposição da organização para desenvolver capacitação digital, é possível gerar insights e desenhar soluções para ajudar a acelerar sua jornada para ser uma organização digital.

O CDO conduz o desenvolvimento continuado de capacitação digital necessário para promover inovações e molda ambientes de trabalho singulares, que facilitam o engajamento de todos os talentos, ajudando a assegurar o sucesso futuro da organização.

Contact Us
Download PDF
Contatos

Glaucy Bocci